Facebook Instagram Twitter YouTube

Roteiro especial em busca dos azeites portugueses

olivas

A qualidade dos solos e as variações climáticas de Portugal determinam as variedades e as castas das oliveiras e consequentemente a qualidade e diversidade dos azeites produzidos.

Deste modo podemos partir à descoberta de cada uma das seis regiões com Denominação de Origem Protegida na produção de azeite: Trás-os-Montes, Beira Interior, Ribatejo, Moura, Alentejo Interior e Norte Alentejano.

Em Trás-os-Montes, no extremo nordeste da região do Porto e Norte de  Portugal, a cultura da oliveira e produção de azeite concentram-se maioritariamente na chamada “Terra Quente”, que se estende pelos concelhos de Valpaços, Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Vimioso, Izeda (Bragança) Murça, Alijó, Alfândega da Fé, Mogadouro, Vila Flor, Carrazeda de Ansiães, Tabuaço, Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Freixo de Espada à Cinta. Depois do Alentejo, esta é a região que mais azeite produz em Portugal.

No Douro ao sul, vamos encontrar a Beira Interior que compreende os azeites da Beira Alta e Beira Baixa. No Centro de Portugal, a região é marcada por grandes contrastes paisagísticos, onde se encontra essencialmente olival tradicional que preenche encostas e margens de rios, como o Tejo e seus afluentes. A norte temos a paisagem serrana que se vai suavizando à medida que caminhamos para sul até encontrarmos, já no limite meridional, a paisagem de latifúndio, onde o olival é vizinho de campos de montado. Nesta região podemos visitar o Museu do Azeite, em Belmonte e, muito perto de Idanha-a-Nova, o Núcleo Museológico do Azeite – Complexo de Lagares de Proença-a-Velha, recuperados pelo Centro Cultural Raiano de Idanha-a-Nova. Já em Idanha-a-Velha, aldeia histórica onde encontramos oliveiras centenárias, é de visita obrigatória o interessante Lagar de Varasrecuperado pelo mesmo Centro Cultural Raiano.

Seguindo o curso do Tejo em direção a Lisboa, chegamos ao Ribatejo, outra das regiões de produção de azeite DOP que abrange cidades como Abrantes, Santarém, Torres Novas e Tomar. 

Mais para sul chegamos ao Alentejo, a zona de maior produção de azeite em Portugal, onde assistimos à cultura tradicional, semi-intensiva e intensiva da oliveira, com três marcas DOP. O norte alentejano abrange uma vasta zona que se estende de Portalegre a Reguengos de Monsaraz, os azeites de Moura englobam as produções de Moura, Serpa e Vila Verde de Ficalho e finalmente o Alentejo Interior compreende os concelhos de Portel, Vidigueira e Torrão. E para terminar o roteiro, em Moura, não podemos deixar de visitar o Museu do Azeite - Lagar de Varas do Fojo, do século XIX, e em Campo Maior, o Lagar-Museu do Palácio Visconde d’Olivã



Compartilhar no Twitter

Publicidade