Facebook Instagram Twitter YouTube

Obras-primas de Johannes Vermeer, Frans Hals e Rembrandt estão novamente em exposição no palácio holandês de Mauricio de Nassau

museu Mauritshuis reabre aps dois anos de reforma

Um dos museus mais importantes da Holanda, o Mauritshuis, em Haia, reabre hoje ao público pelo Rei Willem-Alexander após dois anos em reforma. No coração político da Holanda, bem no centro da cidade, reúne obras dos velhos mestres dos séculos XVII e XVIII, entre eles, Rembrandt, Vermeer e Frans Hals. 

A coleção está alojada em um magnífico palácio do século XVII, cuja localização e arquitetura extraordinárias acrescentam muito à experiência do visitante. O edifício, conhecido como Palácio do Açúcar, foi encomendado ao arquiteto Jacob van Campen e seu assistente Pieter Post pelo conde Maurício de Nassau no período em que ele estava no Brasil – e hoje leva seu nome: Mauritshuis. 

A reforma teve um investimento de €30 milhões e conta com uma expansão subterrânea até o moderno prédio do outro lado da rua.  O museu agora mescla o “velho” com o “novo”, mas preserva sua aparência e atmosfera tradicional, graças ao design do arquiteto Hans van Heeswijk.  A nova área, Royal Dutch Shell Wing, abriga um espaço de exposição temporária, auditório, brasserie, loja, o Art Workshop (educacional), biblioteca e salas de eventos.

Outras obras de destaque da coleção permanente são:
 
Paulus Potter, "O Touro";
Rembrandt, "A Lição de Anatomia do Dr. Nicolaes Tulp";
Johannes Vermeer, "Vista de Delft";
Jan Steen, "Como Se Ouve, Como Se Canta";
Jan Brueghel, o Velho, com Peter Paul Rubens, "O Jardim do Éden, Com a Queda do Homem";
Retratos de Frans Hals;
Um autorretrato de Rembrandt.
 
Durante o período de renovação, uma seleção de obras de arte, incluindo a favorita do público – Moça com Brinco de Pérola, de Vermeer –, foi exibida no Japão, nos Estados Unidos e na Itália, com recorde de público: 2,2 milhões de pessoas. A turnê terminou no Palazzo Fava, em Bolonha, onde a quantidade de visitas superou as expectativas e confirmou a popularidade dos mestres holandeses da Era de Ouro. No Museu Metropolitano de Arte de Tóquio, a exposição foi mais visitada em 2012, com média de 10.573 visitantes por dia. A seleção itinerante incluiu obras-primas de Rembrandt, Steen, Hals e Rubens.


Compartilhar no Twitter

Publicidade